top of page
Buscar
  • Foto do escritorDr. Ever Rodriguez

Toxoplasmose Ocular: Tudo o que você precisa saber!

Atualizado: 18 de fev.

O Toxoplasma gondii é um protozoário intracelular obrigatório, encontrado em uma ampla variedade de hospedeiros, incluindo gatos, mamíferos, aves e répteis. A infecção ocorre principalmente pela ingestão de carne crua ou mal cozida contendo cistos viáveis do parasita, pelo contato com terra contaminada por fezes de gatos infectados ou pela transmissão vertical da mãe para o feto durante a gravidez (os efeitos são mais graves quando a infecção ocorre precocemente) (ver fig. 1).


Ciclo de vida do Toxoplasma gondii
Figura 1: Ciclo biológico de Toxoplasma gondii

CICLO DE VIDA DO TOXOPLASMA GONDII

Os únicos hospedeiros definitivos conhecidos para T. gondii são membros da família felidae (gatos domésticos e seus parentes).

  • Quando infectados pelo T. gondii, os felinos liberam oocistos (1) em suas fezes para o ambiente durante 7–15 dias.

  • Os oocistos podem contaminar a terra (2), água, frutas e hortaliças (3). Os hospedeiros na natureza (p. ex., pássaros, roedores, animais selvagens e animais criados para consumo de seres humanos) infectam-se após ingerirem materiais infectados (4a e 4b).

  • Os seres humanos podem se infectar pela ingestão de alimentos ou água contaminada (3) por fezes de gatos ou outros materiais contaminados (2) contendo oocistos ou pela ingestão de carne malcozida (5) contendo cistos teciduais. Raramente, ocorre transmissão transplacentária da mãe para o feto (6).

"Estima-se que um bilhão de pessoas estejam infectadas em todo o mundo, com taxas de infecção mais altas em áreas tropicais".


O que é a toxoplasmose ocular e como ela afeta a visão?

A toxoplasmose ocular é uma condição oftalmológica grave causada pelo Toxoplasma gondii, essa infecção pode resultar em retinocoroidite infecciosa, uma das principais causas de perda de visão em pacientes e afetar gravemente a sua qualidade de vida. Nos Estados Unidos, aproximadamente 2% dos indivíduos sofrem de retinocoroidite secundária à toxoplasmose, enquanto no Brasil essa taxa pode chegar a 17,7%.


A toxoplasmose ocular pode causar sérios danos à visão, e a detecção precoce é crucial para um tratamento eficaz. É fundamental conscientizar a população sobre os riscos da toxoplasmose ocular e as medidas preventivas, como lavar as mãos após o contato com animais e evitar o consumo de alimentos malcozidos. Além disso, exames oftalmológicos regulares são essenciais para identificar precocemente a doença e evitar complicações graves.


Lesão de retinocoroidite ativa e inativa
Figura 2: Visualize a diferença entre uma lesão de retinocoroidite ativa (esquerda) e inativa (direita) após o tratamento

Você sabia que até 1 em cada 3 pessoas em todo o mundo estão infectadas com Toxoplasma gondii, o parasita responsável pela toxoplasmose?


A maioria das pessoas infectadas não apresenta sintomas inicialmente, mas à medida que o sistema imunológico reage e combate o parasita, ele pode formar cistos pelo corpo. Esses cistos podem permanecer dormentes, mas se o sistema imunológico enfraquecer, a toxoplasmose pode ser reativada, causando novos sintomas.


Após um período de incubação de 1 a 2 semanas, os sintomas da toxoplasmose ocular começam a se manifestar. Os sintomas durante a fase aguda podem incluir:

  • Visão embaçada

  • Presença de moscas volantes

  • Febre baixa

  • Dor de garganta

  • Desconforto geral

  • Dores musculares e/ou articulares

  • Glândulas inchadas

  • Dor de cabeça.

É importante estar atento a esses sinais e procurar ajuda médica caso eles sejam observados.


Quando o parasita está presente no olho, ele pode causar inflamação e cicatrizes, resultando em problemas de visão temporários ou até mesmo permanentes. É fundamental buscar tratamento adequado o mais rápido possível para evitar complicações futuras.


DESCUBRA COMO É REALIZADO O DIAGNÓSTICO DA TOXOPLASMOSE OCULAR


O diagnóstico da toxoplasmose ocular é feito por meio de exames clínicos e testes laboratoriais, como análise de sangue e exames de imagem do fundo de olho como retinografia (ver fig. 2), angiofluoresceinografia e OCT de retina (ver fig. 3).


Retinografia de uma lesão de Retinocoroidite ativa (esquerda) e imagem de OCT de retina da lesão ativa (direita).
Figura 3. Retinografia de uma lesão de retinocoroidite ativa (esquerda) e a imagem de OCT de retina da mesma lesão (direita)

TRATAMENTO E PREVENÇÃO DA TOXOPLASMOSE OCULAR


O tratamento geralmente envolve o uso de medicamentos antiparasitários para eliminar o parasita e reduzir a inflamação no olho afetado. Em alguns casos, pode ser necessário o acompanhamento a longo prazo para monitorar a saúde ocular e prevenir reativações futuras.


É importante ressaltar que a prevenção desempenha um papel fundamental na redução do risco de contrair toxoplasmose ocular. Evitar o contato com fezes de gatos, consumir alimentos devidamente cozidos, lavar bem as mãos após manipular carne crua e utilizar luvas ao mexer na terra são medidas simples que podem ajudar a prevenir a infecção.


Se você suspeita de toxoplasmose ocular ou apresenta algum dos sintomas mencionados, não hesite em consultar um oftalmologista. Um diagnóstico precoce e um tratamento adequado podem minimizar os danos à visão e garantir uma recuperação mais rápida.


Lembre-se, a saúde dos seus olhos é valiosa e merece toda a atenção e cuidado necessários.


Responsável: Dr. Ever Ernesto Caso Rodriguez | CRM-SP: 160.376

Confira essa e outras informações na nossa página do Facebook ou Instagram.


Faça seu agendamento via WhatsApp agora!



1.287 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page